sexta-feira, 10 de abril de 2015

Por que a hermenêutica é essencial para o ministério cristão? O que podemos fazer para valorizar a correta interpretação da Bíblia?



Hermenêutica, segundo o dicionário Houaiss, é uma ciência, técnica que tem por objetivo a interpretação de textos religiosos ou filosóficos, esp. das Sagradas Escrituras.
Como ciência, a hermenêutica busca, de forma sistemática, estabelecer regras para compreensão da Bíblia. Como arte, ela pressupõe flexibilidade, sabedoria e amor para se atingir uma correta compreensão do texto.
O termo "hermenêutica" deriva do grego hermeneuein, "interpretar". Desta forma, a Hermenêutica Bíblica cuida da reta compreensão e interpretação das Escrituras. Consiste num conjunto de regras que permitem determinar o sentido literal da Palavra de Deus.
E, por que interpretá-la nos é tão importante? Porque a Bíblia é a única regra de fé e prática de nós cristãos. Assim, há necessidade de uma hermenêutica correta, sem divergências.
Entendemos, que a Bíblia é tanto um livro humano quanto divino. Dessa forma, como um livro humano, precisamos levar em conta os aspectos humanos da interpretação - em sua maior parte, a hermenêutica lida com questões de linguagem, história, cultura, estilos literários de cada texto bíblico. Entretanto, a Bíblia, também, é um livro divino - assim, é necessário nos aproximarmos dela conscientes de sua natureza especial.
Com isso, entendemos que a Bíblia é:

1. inspirada;
2. autoritativa;
3. suficiente;
4. definitiva;
5. compreensível.

Após tais esclarecimentos, fica-nos fácil entender, e apontar, porque a hermenêutica é essencial para o ministério cristão, pois:

1. A arma principal do soldado cristão é a Escritura, e se desconhece o seu valor ou ignora o seu legítimo uso, que soldado será? (2 Timóteo 2:15).

2. As circunstâncias variadas que concorreram na produção do maravilhoso livro exigem do expositor que o seu estudo seja meticuloso e cuidadoso, conforme os princípios hermenêuticos.

Com isso, podemos afirmar que: A Escritura é explicada pela Escritura. A Bíblia interpreta a própria Bíblia.
Já, quanto ao fato de algumas pessoas defenderem a questões de que basta lermos a Bíblia com simplicidade, pedindo a Deus sua iluminação, que o Senhor nos dará. Não que venhamos a discordar, pois Deus o pode fazer, e muitas das vezes o faz. Mas, o que nos é perigoso são as falhas interpretações; refiro-me a perigoso, pois como saberemos se, de fato, a revelação é divina e não do nosso próprio coração - nossos desejos e vontades, inconscientemente, imprimidos na interpretação bíblica (ouvir o que deseja ouvir). Por tal motivo, e mais seguro, seguir elementos dados pela hermenêutica é mais viável - a interpretação correta da Bíblia, em seu texto e contexto.
Outro detalhe importante é quanto a nossa natureza caída, ao qual pode nos querer justificar pecados ou reinterpretar certas doutrinas. Através dos princípios corretos de interpretação podemos atenuar a influência do pecado - por tal motivo precisamos da hermenêutica por causa das consequências do pecado em nossa percepção.
Lembrando-se que, precisamos da hermenêutica porque, mesmo nos processos comuns da comunicação, pode haver falhas de interpretação. Como é sabido, palavras mudam de significado com o tempo, costumes e culturas, e que momentos históricos específicos determinam em muito o sentido de um texto. Por isso, mais uma vez, é citada a necessidade de empenho no estudo da Bíblia.
Contudo, enquanto for possível, é necessário tomar as palavras no seu sentido usual e ordinário. Ou seja, é absolutamente necessário tomar as palavras no sentido que indica o conjunto da frase.
Tal regra, para nós, tem importância especial ao se tratar do uso das palavras, quando elas devem ser entendidas em seu sentido literal ou figurado.
Mediante a isso, para não acontecer erros, convém, também, deixar-se guiar pelo pensamento do escritor, e tomar as palavras no sentido em que o conjunto do versículo indica, não o que o leitor acha - o "achismo” deve ser deixado totalmente de lado.
Claro, é necessário tomar as palavras no sentido que indica o contexto, isto é, os versos que precedem e seguem o texto que se estuda - o texto em seu contexto, não fora dele, evitando os famosos "pretextos” que, em seguida, tornam-se heresias terríveis - por fim, já não mais se sabe o que é verdade bíblica e distorção.
Em suma, um texto não pode significar aquilo que nunca poderia ter significado para seu autor ou seus leitores.
Devemos nos lembrar em: fazer uma reconstrução do pano de fundo histórico e cultural; conhecer algo sobre a geografia relacionada ao texto; observar o contexto político; conhecer o mundo religioso da época; procurar compreender como a sociedade era organizada; descobrir como era o dia a dia das pessoas; ser cuidadoso para interpretar os textos levando em conta todas as informações a respeito do contexto histórico cultural; procurar aplicar as verdades das Escrituras respeitando as diferenças históricas e culturais.
Enfim, é sabido que seitas e heresias surgem por causa da má interpretação das Escrituras. Se quisermos evitar o erro, precisamos conhecer a Palavra de Deus. E como podemos fazer isso? Nós podemos, primeiramente, entender o que fora anteriormente citado e seguir. Em segundo lugar, devemos, cada vez mais, estudar as escrituras, ou seja, conhecermos a palavra de Deus.

Mediante a isso, devemos perceber que há divergências (estas por causa da realidade ao qual estamos inseridos) entre nós e os escritos dos textos sagrados, onde: língua, cultura, sociedade, pensamento, geografia, história, contexto político, etc., diferentes do que conhecemos está inserida num contexto muito diferente da realidade atual.

Mais uma vez, devemos nos lembrar e levar em conta os costumes daquela época, sabendo, assim, que tal evento ocorreu segundo a tais realidades, e que estas não são as mesmas vividas por nós, atualmente. Entre ambas há um abismo de centenas de anos e, assim, é um caminho muito complicado querer transportar tais distantes realidades de nossa vivência, de século XXI, para um contesto, por exemplo, de domínio Romano, do começo da era Cristã.

Sem dúvida, um bom estudo hermenêutico evita tais erros de interpretação. Com isso, nós, como futuros teólogos, devemos defender a verdade bíblica e ensinar, na medida do possível, o verdadeiro caminho que nos une ao entendimento dos textos sagrados. Pois, muito de nós, são professores de EBD (ou até mesmo ajudantes, ou alunos), portanto, fica-nos mais fácil tal ensinamento.

Para tal, se nós desejarmos compartilhar a mensagem da Palavra de Deus, é fundamental: entendê-la e aplicá-la corretamente.

Devemos fazer que as pessoas entendam a importância de se conhecer a Bíblia, pois nos é necessário para:

1. conhecer o caminho da salvação;
2. alcançar maturidade espiritual;
3. conhecer a vontade de Deus para nossas vidas;
4. conduzir outras pessoas a Cristo;
5. discipular outros;
6. exercer nossos dons espirituais;
7. discernirmos a verdade do erro;
8. explicar a razão da nossa convicção.

As pessoas podem conhecer a Palavra de Deus através de algumas características importantes, como:

1. ser nascido de novo;
2. fome pela Palavra de Deus;
3. obediência;
4. coração ensinável.

Por conseguinte, após entendemos o porquê da importância da hermenêutica para o ministério cristão e, assim, atitudes que devemos tomar para que a correta interpretação da Bíblia fosse valorizada, podemos afirmar que, tal interpretação é importante porque a Bíblia foi inspirada verbalmente- assim a importância da interpretação gramatical. Deus quis comunicar sua mensagem através de palavras e sentenças dentro da estrutura da linguagem humana. Ele não quis oferecer para nós um labirinto esotérico de enigmas e mistérios, mas uma comunicação clara de sua verdade e vontade. Por tal motivo, devemos nos debruçar no ensinamento da palavra, não em achismos e falsas doutrinas, tiradas de interpretações humanas e errôneas. Assim, não devemos esquecer de que devemos:

1. ler o texto diversas vezes;
2. identificar o propósito do autor;
3. analisar o plano do autor;
4. encontrar a ideia principal;

5. observar que argumento o autor está usando para defender sua ideia.