segunda-feira, 1 de outubro de 2012

O Bom Pastor






“Eu sou o bom Pastor”, diz Jesus, e como “bom Pastor” dá tudo – que lhe apraz dar – a suas ovelhas. Ele as leva até gramas verdinhas, até as águas cristalinas e, à noite, vigiam-nas e as guarda do perigo. Este bom Pastor as defendem com sua própria vida!
Se analisarmos o emprego da palavra Pastor, notaremos que, em versículos anteriores a mesma palavra se encontra desta forma: pastor – consoante inicial da palavra em minúsculo – demonstrando, assim, ter o significado de um pastor qualquer; um pastor de ovelhas comum. Mas quando o Senhor volta para si mesmo dizendo que é o “bom Pastor”, não está querendo dizer que é um pastor qualquer de ovelhas – animais irracionais – mas por ter início a palavra em maiúscula nos mostra ser um nome próprio, ou até mesmo um título. Aqui, Ele nos quer mostrar que é Pastor, mas Pastor de um rebanho de homens e mulheres que o aceitam, para o mesmo os venham apascentar – cuidar, proteger do maligno. E Ele não é um pastor desapercebido, arrogante, mas é zeloso e humilde, características notadas no emprego do adjetivo bom referindo-se a Pastor e o predicado “dá a vida pelas ovelhas”.
Na realidade, Jesus - como Deus-filho, em primeiro lugar, em prova de puro e sincero, eterno e verdadeiro amor, fez-se:

ð Homem: um ser inferior aos anjos, tendo o livre arbítrio em suas mãos. Criatura que fora formada para ocupar o lugar de Lúcifer – o anjo caído – cujo o ódio por Deus é tremendo, tendo como alvo destruir o homem – imagem de Deus.
ð Pecador, maldito: O pecado de todas gerações – da que foi e da que iria de vir, até a consumação dos séculos – Jesus tocou sobre si. Isso significa que foi acusado dos pecados cometidos por toda a humanidade.
ð Dores, tristezas, cansaço: todas as doenças, depressões, angústias, problemas da humanidade inteira estava sobre Jesus, naquele momento da crucificação.
ð Doou-se: por último, cheio de pecados e dores, morreu por todos nós lá na cruz do calvário.

Jesus veio ao mundo como homem, mas não pecou; sujeito as mesmas dores, mas não se desviou do caminho, por Deus traçado. E como Ele mesmo declarou ser o bom Pastor, deu sua vida por sua ovelhas.
Maior amor que este não há, de se entregar por nós. O puro se fez maldito, o santo em pecador. E foi levado à morte, cheio de dores, cheio de pecado, que até Deus deu-lhe as costas, pois o pecado de toda a humanidade estava sobre Cristo, e Deus não pode olhar para o pecado, Deus não habita com o pecado. E morreu o mestre, e seu sangue limpou nossas vestes; agora Deus olha para nós e vê Jesus em nós, e se alegra – novamente – do homem. Mas essa verdade é apenas par aqueles que reconhecem Cristo e o aceitaram como Pastor, e sendo assim ovelhas obedientes de seu rebanho, estando atentas a Sua doce voz.





O que é ouvir a voz do Pastor?

Ouvi-lo é:

1º Obedece-lo em tudo;
2o Seguir seus passos e exemplos;
3o Confiar Nele a todo instante;
4o Respeitar as Sagradas escrituras.

O que é confiar em Jesus?
Confiar é entregar-se, por completo, sem receio ou reservas a Jesus. Entregar-lhe tudo quanto perturba sua mente e coração em suas mãos; sabendo e crendo que Ele levou sobre Si tudo, na cruz.
Essa mão poderosa, a mão de Jesus, vai onde e aonde não podemos ir, nem tocar. Mas Ele vai, sim Ele toca, e restaura os caminhos toruosos, e para o doente e aflito. Jesus pode, Ele deu-se por isso. Ele comprou a nossa redenção, e qual alto foi o preço de nossa vida, o quanto Lhe somos preciosos. O próprio Deus-filho veio ao mundo como nós. Humilhou-se sem precisar, e tudo isso por nós! Poderia ter mandado um anjo vir, mas não, Ele veio por nós, Ele se deu!
Devemos confiar nele, pois a maior prova de sua fidelidade já foi dada – sua morte na cruz.

“Entrega o seu caminho ao Senhor, confia nele, e ele fará”. Salmos 37.5

“Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração”. Salmos 37.4

O salmista Davi declara sua confiança em Deus, mesmo estando em grande tribulação e angústia. Ele continua a declarar:

“Deus meu, em ti confio, não me deixes confundido, nem que os meus inimigos triunfam sobre mim...”. Salmo 25.2

A continuação do versículo mostra que a fé e a confiança chega à Ele; então declara vitória:

“Na verdade, não serão confundidos os que esperam em ti, confundidos serão os que transgridem sem causa”. Salmo 25.3

Confiar é Ter fé e quem tem fé sabe esperar com paciência. Deus honra aquele que espera nele. O salmista declara isso em Salmo 40.1, que diz:

“e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor”.

Por estar no tempo passado nos relata que Davi já adquiriu a vitória – presente – e está testemunhando de algo vivenciado por ele.

A verdadeira ovelha, a obediênte, ouve a voz do Pastor, conhece tal voz, não se deixa enganar; esta ovelha espera com paciência, pois confia nEle.

Devemos declarar, assim como Davi declarou, no salmo 23, que o Senhor era o seu Pastor – de semelhante modo, “O Senhor” é nosso “Pastor”.

Jesus conhece as suas ovelhas e , as mesmas, em tudo, conhecem a voz dEle.

“Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas; e das minha sou conhecido (...). As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem”. João 10.14-27

Também, ao lermos no mesmo capítulo de João 10, nos versículos que vão do 1 ao 5, notaremos o seguinte:

ð A verdadeira ovelha ouve a voz do seu Pastor e a reconhece e o segue, obedecendo-o em tudo.

O pastor da ovelhas é Jesus.
O ladrão e salteador é o diabo.
As ovelhas são todos aqueles que servem ao Senhor de todo o seu coração, de todo o seu entendimento, com todo o seu ser, em espírito e em verdade, e O adora na beleza de Sua santidade. É também, aquele que ouve Sua voz e reconhece-ª

Maria reconheceu a voz de Jesus, seu Mestre – quando o mesmo havia ressuscitado – ao chamá-la pelo nome:

“Disse-lhe Jesus: Maria! Ela voltando-se, disse-lhe: Roboni (que quer dizer, Mestre)!”.

João 20.16

Esta é uma prova de que a verdadeira ovelha ouve e reconhece a voz do verdadeiro Pastor – que é Jesus.

Você ouve a voz do Mestre?
Você a reconhece?
Será que ainda, você, confunde-a com a voz do mundo?
Você obedece e segue seu amado Pastor – Jesus?
Você é uma ovelha de Jesus?
Você, realmente, confia em Jesus?

Neste estudo enfocamos Jesus – o nosso bom Pastor – aquele que cuida de nós, pega-nos no colo, cuida de nossas feridas, cura-nos e nos ama. Este bom Pastor está sempre pronto para nos ajudar, quando, assim, a Ele pedimos.
Ao falarmos nisso lembramos da parábola das cem ovelhas. Esta parábola tão maravilhosa nos mostra o zelo, amor e cuidado de Jesus por nossas vidas. Mesmo nós, longe... Ele ainda nos ama e vai em nossa busca. O Senhor vai em sua busca, pois Ele quer lhe curar, dar carinho e salvação. Mas para isso você tem que abrir a porta do seu coração, então, só depois Ele poderá entrar, limpar e habitar para sempre.

“Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove e não vai após a perdida até que venha a achá-la? E, achando-a, a põe sobre seu ombros, cheio de júbilo; e, chegando à sua casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrei-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida”. Lucas 15.4-6

Jesus, o bom Pastor, veio para nos salvar, curar-nos e nos levar para o céu.
Abra o seu coração e seja você também uma ovelha de seu rebanho.

terça-feira, 15 de maio de 2012

A confiança em Deus

“Por isso vos digo: não andais cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo, mais do que a vestimenta?”. Mateus 6.25

“Não andais cuidadosos”: diz o nosso querido Senhor.

Jesus não está dizendo que é errado o cristão tomar providências para suprir suas futuras necessidades materiais. O que Ele realmente reprova aqui é a ansiedade ou a preocupação angustiosa da pessoa, revelando sua falta de fé no cuidado e no amor paternal de Deus.

Devemos confiar no Senhor, quem confia não se preocupa com nada. Assim, depositando em Deus nossos cuidados e ansiedades. Nosso Pai celeste tudo sabe.

“Lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós”. 1 Pedro 5.7.

Confia em Deus, descansa nEle. A bíblia não é mentirosa, nem o Senhor se esquece de realizar o que prometeu. Se nosso Pai lhe prometeu vitória, então, descanse tão somente.

O cuidado que Deus tem conosco e com nossos problemas é tão grande que, nós, por sermos distraídos, não notamos muitas das vezes. Isso é verdade e é enfatizada pela Sua Palavra. Todos os nossos temores, cuidados e preocupações devem ser lançados sobre o Senhor.
Que possamos no dia de hoje proclamar com fé e determinação o que o Salmista Davi disse:

“Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nEle, e ele tudo fará”. Salmos 37.5

Ou confiamos em Deus ou não confiamos. Se realmente confiamos, então, devemos tudo entregar-lhe – tudo aquilo que nos perturba, que nos aflige e que tira nossa paz. Uma vez que entregamos na mão de Deus, não devemos nos perturbar ou nos afligir; se, acaso, isso ocorrer – que é normal, pois somos imperfeitos e pecadores – devemos pedir ao Pai, que é perfeito e cheio de amor, para nos ajudar.
Uma coisa que não devemos fazer é hora colocar não mão de Deus, hora tirar; isso impossibilita o trabalhar de Deus, não que o Senhor não possa fazer, mas porque nós nos afastamos de debaixo de sua potente mão. Com essa atitude demonstramos falta de confiança. Deus quer um coração puro e sincero para com Ele, além de determinação de nossa parte.
Quem realmente confia em Deus diz assim como está escrito em um dos salmos de Davi:

“O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei?”. Salmos 27.01.

O livro de Salmos é repleto de mensagens que relata a fidelidade de Deus para com seu filho e, também, a confiança deste por Deus.
O salmo 40 é prova de confiança, fidelidade e esperança.
Deus ouve a alma paciente. Devemos confiar e obedecer ao Senhor, pois obedecer é melhor que sacrificar.

“Esperei com paciência no Senhor, e Ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor”. Salmos 40.1.

Ao confiarmos em Deus damos-lhe livre acesso em nossa vida, tendo o Senhor liberdade de trabalhar em nosso favor.
Só quem pode impedir o trabalhar de Deus, em nós, somos nós mesmos. Isto ocorre porque o Senhor é educado e não entra, nem trabalha, na vida de ninguém sem antes, o mesmo, permitir e desejar.

“Lança o teu cuidado sobre o Senhor e ele te sustentará; nunca permitirá que o justo seja abalado”. Salmos 55.22.

Quando, sob provações, que de tão pesados não podemos suportar, Deus nos convida a lançar sobre Ele nossos fardos e cuidados. Ele, então, conduz o peso juntamente conosco e nos sustém em todas as situações.

Jesus fez este mesmo convite em:

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, encontrareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve”. Mateus 11.28 a 30

Que convite tão generoso é este o de Jesus. Quem vai a Ele, e se torna seu servo, fazendo sua vontade, o amado Mestre o alivia de suas insuportáveis aflições, dando-lhe descanso, paz e seu Espírito Santo como guia.
Somente deste modo podemos suportar as provações e inquietações desta vida, com auxílio da graça de Deus.

“Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno”. Hebreus 4.16

Podemos chegar com confiança ao trono da graça celestial, sabendo que nossos pedidos e orações são ouvidos por Deus, porque Cristo se compadece das nossas fraquezas.
O significado “trono da graça” é: Lugar onde flui o amor, o socorro, o perdão, a misericórdia, o poder divino, o batismo com o Espírito Santo, os dons Espirituais, o fruto do Espírito Santo e tudo o que precisamos em todas as circunstâncias.
Uma das maiores bênçãos da Salvação é que Cristo, agora, é nosso sumo sacerdote, conduzindo-nos até a sua presença pessoal, de modo que sempre podermos buscar a ajuda de que carecemos.

Pedro afirma, como já citamos em I Pedro 5.7, que devemos nos humilhar diante de Deus, lançando toda e qualquer tipo de ansiedade, de medo, de desconfiança, pois sabemos que Ele cuida de tudo. O apóstolo Paulo exortou-nos a levar todas as nossas ansiedades a Deus em oração, com a promessa de que, assim, a paz de Deus guardará nossa mente e coração.

“E a paz de Deus, que excede entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus”. Filipenses 4.7

Ao invocarmos a Deus, com o coração posto em Jesus e na sua palavra, a paz de Deus transborda em nossa aflita alma. Esta paz é além do que nossa limitada mente humana pode imaginar. A mesma consiste em trazer refrigério e tranqüilidade ao nosso interior; nisso consiste o Espírito Santo que venha transmitir em nós essa paz.
Quando colocamos diante de Deus, em oração, as nossas iniqüidades, problemas, inquietações, essa mesma paz ficará como guarda à nossa porta – coração – e de nossa mente, para impedir que as angústias nos perturbem a vida e tire a esperança em Cristo.
Se, por algum motivo, o medo, ansiedade, angústia voltarem, novamente as orações, súplicas e ações de graça nos trarão a paz de Deus que guarda os nossos corações. Assim voltaremos a sentir segurança, e nos regozijaremos no Senhor.

Confiai em Deus, pois é somente desta forma que encontraremos a paz que tanto necessitamos, e o alívio para nossa alma; só assim o Senhor trabalhará em nosso favor.
Confiar em Deus é depositar nele nossas aflições.

Textos Bíblicos:

Mateus 6.25-30; 11.28-30
Lucas 12.22-31

Que venhamos a ser pacientes e esperarmos que a boa obra de Deus se cumpra em nossas vidas, certos de que aquele que começou a boa obra não descansará até que a tenha terminado.
Continuamos nossa luta, porque Deus é conosco. Que possamos vir a romper em fé; e se o mar não se abrir, com certeza, passaremos por cima das águas.
O Senhor é tão maravilhoso e bondoso para conosco que jamais nos dará uma prova a qual nós não agüentaríamos. Se a prova está difícil, saiba que você não está sozinho; Deus está com você, ajudando-lhe, amparando-lhe e carregando, junto contigo, seu fardo. Veja com os olhos da fé o Senhor ao seu lado.
Saiba que Deus não chama os capacitados, mas capacita os chamados. Você é chamado do Senhor; tome, então, sua posição de valente de Deus; passe por cima das águas! Você pode; o Senhor lhe faz capaz!
Somos importantes para Deus para o Senhor, se assim não fosse o Senhor não teria dado seu único filho para morrer por nós.
No final, perceberemos que a luta, após findada, tornaremo-nos mais fortes e saborearemos a vitória cantando louvores àquele que é fiel.
Que não venhamos andar ansiosos, pois a ansiedade se torna um bloqueio entre o milagre de Deus e nós.
Que possamos vir descansar, assim como o próprio Jesus descansou em meiio a tempestade. Os discípulos com medo gritavam por socorro, mas o Mestre descansava. Ele descansava, pois sabia que Deus estava com Ele naquele barco. Que este acontecimento venha ser um ensinamento para nós. Devemos nos portar como Jesus se portou, sendo confiante a todo instante. (Lc 8.22-25; Mt 8.23-27; Mc 4.35-41). Neste texto bíblico, Jesus repreendeu aos discípulos:

“... porque temeis, homens de pequena fé?”.
Que venhamos ter muita fé – a fé que remove montanhas, a própria fé de Deus.
Se Deus habita em nosso ser deve, também, em nós habitar a Sua bendita fé. Somos a imagem de Deus; que essa verdade arda continuamente em nossos corações e mente, para sempre.

A fé que nos faz vencedor.
A fé que quebra as cadeias.
A fé que liberta os cativos.
A fé que cura os enfermos.
A fé que salva o pecador.
A fé de saber que, mesmo não tendo visto Jesus morto na cruz, Ele assim se deu por nós – nisto, acreditamos.
Esta mesma fé nos dá a certeza que Jesus voltará para nos buscar.
Não deixe o inimigo de nossas almas roubar a fé que em nós há.

“Entrega o teu caminho ao Senhor...”
“Espera com paciência no Senhor...”
Lança “... o teu cuidado no Senhor...”

Porque o Senhor é a luz e a força de nossa vida, e de nada e de ninguém devemos temer.

E se nos falta a fé, o que devemos fazer?

A palavra do Senhor diz que tudo que pedimos, crendo, receberemos. Mas, como pedir se, às vezes, nos falta fé necessária para alcançarmos a benção?

“Disseram então os apóstolos ao Senhor: Acrescenta-nos fé”. Lucas 17.5

Essa é a chave da vitória! Devemos fazer conforme fizeram os apóstolos ao Senhor: “Acrescenta-nos fé”. Peça a Ele que aumente sua pequena fé.

Deus tem uma maneira para suprir a sua necessidade e resolver o seu problema. Esta maneira está fundamentada em sua fé que se torna semente. Quando você planta uma semente, Deus muda a natureza dessa semente, de modo que se torna uma planta, e o poder da vida surge naquela frágil planta jovem de tal maneira que nem um monte de terra pode impedi-la de crescer.

“... se tiveres fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa para acolá – e há de passar; e nada vos será impossível”. Mateus 17.20b.

A fé mesmo que pequena ou fraca para nós, ainda pode realizar o humanamente impossível. Este monte era uma figura para obstáculos, impedimentos ou problemas humanamente insuportáveis - nenhum dos quais era impossível para Deus lidar através de pessoas comprometidas que compreendiam exatamente a autoridade e conheciam o poder, vontade e provisão dEle.

Jesus diz que nossa fé em Deus é como uma semente. Quando colocamos nossa fé em ação, ou seja, quando deixamos nas mãos de Deus, ela assume uma natureza totalmente nova. Assume a natureza de um milagre em desenvolvimento.
O que é um monte em sua vida? A solidão, a perda de um emprego, uma doença...? Crie coragem! Jesus mostra o caminho para remover esse monte.
Primeiramente, Deus diz que temos uma medida de fé.

“Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação a medida da fé que Deus repartiu a cada um”. Romanos 12.3

Essa fé está dentro de você.
Em segundo lugar, Deus diz que sua fé surge ao se “ouvir... a palavra de Deus” (Rm 19.17). Por último, Deus diz que se pode aplicar a fé para atender suas necessidades diárias. Como?. Faça algo como ato da sua fé. Semeie a pequenez da semente de mostarda de sua fé em um ato de amor. (Mt 17.20).
Depois quando sua fé tiver sido plantada e estiver crescendo, fale com seu monte e observe Deus começar a cuidar da sua remoção.

Como devo orar por um milagre?

Para a resposta a esta pergunta basta nós, humildemente, buscarmos a Deus para conhecer a sua vontade em relação ao problema ou necessidade. Assim como Jesus sempre ouviu a vos de seu Pai, assim não deve ser diferente no nosso caso; devemos ouvir o que Deus tem a nos dizer sobre isso. Saber se é da vontade dEle realizar este milagre.
É importante exercitar uma chave para o milagre – a palavra falada. Deus nos deu autoridade sobre a doença, sobre os demônios, sobre as tempestades e sobre as finanças.

“... deu-lhes poder sobre os espíritos imundos, para os expulsarem, e para curarem a enfermidade e todo o mal”. Mateus 10.1.

“Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda e qualquer força do inimigo, e nada vos fará dano algum”. Lucas 10.19.

Acredite em seu coração o que você pediu já aconteceu. Traga a existência o que ainda não existe.

Lembre-se que os milagres vêm pela fé no poder presente de Deus, e não por um ritual ou fórmula do esforço humano.

A fé como gravidez!

Quando a mulher espera por um bebê. Ela fica imaginando como o mesmo será. Trazendo, em sua mente, a forma de um bebê que ainda ela não viu, que ainda não nasceu; mas mesmo assim, a mãe fica imaginando, sonhando com ele.
A fé também pode ser relacionada a uma gravidez, onde a mãe espera pacientemente o dia do parto. Desta forma, também, devemos nós ficarmos – pacientemente esperando o dia da vitória. Grávidos da benção que vai nascer. Felizes, pois sabemos que vai chegar o dia; sem dúvidas! Sonhando e imaginando a benção em nossas mãos.