segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Características necessárias para quem é "discipulador" e para quem tem "discipulidade"





Apresente as características necessárias para quem é "discipulador" e para quem tem "discipulidade" e as consequências de um discipulado no modelo bíblico Moisés-Josué.

Para entendermos melhor essa relação entre discipulador e discípulo, havendo, assim, a discipulidade, vamos pautar alguns conceitos isoladamente, e assim, em fim, chegar a uma resposta plausível sobre o questionamento feito.

Discipulado

Um dos significados que atribuímos a esta palavra é: conjunto de disciplinas de um mestre. Desta forma, para que isso ocorre, necessita de:

1.      Relacionamento (não há discípulo se não houver relacionamento mútuo. Ou seja,  muitos querem fazer discipulado, mas poucos querem se envolver, assim o relacionamento fica corrompido - Cl 3:12-16 );

2.      Intimidade (assim como o discipulado de Jesus - fazer morada – assim deve ser o nosso. Em outras palavras, gerar intimidade. Seguindo o exemplo do Mestre, que durante três anos andou com seus discípulos, ensinando-os diariamente - Jo 14:16);


3.      Ensino (é o lugar onde se transmite a vida de Cristo; onde se aprende a observar todas as coisas que Ele nos ensinou);

4.      Processo Contínuo (é o aperfeiçoamento diário dado à nós por Cristo, Assim, o discipulado necessita de um discipulador que o vai orientar, dando-o instruções e cobertura);


5.      Formar Vidas (este é um processo, com base no ensino de um novo estilo de vida, mas não uma vida qualquer, e sim, uma vida voltada ao evangelho do reino. Desta forma, o discipulador tem a tarefa de ensinar e formar vidas; com isso, discipulado é uma relação de compromisso mútuo de alguém que deseja crescer ensinando com alguém que deseja crescer aprendendo. Para que isso ocorra, necessita uma relação entre eles de: cuidado, amparo, oração, sustento, respeito, dedicação, amor, etc).


Discipulador

Segundo o dicionário Houaiss, discipulador é aquele que aplica disciplina (obediência às regras; ordem, regulamento). E tal disciplinador o faz em amor e paciência.
Desta forma, ele pode demonstrar:

1.      Persistência (dispor-se a recomeçar com o mesmo discípulo quantas vezes for necessário – sempre que Deus o permita  - Jo 20.24-27);

2.      Amor (amar seus discipulados - Jo 21.9-19).

3.      Multiplicar (dispor-se a continuar com a preparação de outros discípulos quando um discípulo o abandona/ou não (II Tm 4.9-11).

Por conseguinte, ele é aquele que “abra a porta de sua casa”, que ama, corrige-o em amor, é servo de seu discípulo (modelo de Cristo, onde o maior deve servir o menor), ter alegria e intimidade com o discípulo.

Discípulo

A palavra discípulo vem do latim discípulos, que significa “aluno”, “aprendiz”. Assim, sua raiz verbal é discere, “ensinar”. Desta forma, discípulo está relacionado a ideia de disciplina – ou seja, acima de tudo, dos verdadeiros discípulos requer-se disciplina.
Assim, podemos pontuá-lo como uma pessoa que:

1.      Crer (um discípulo creu na doutrina de Cristo – Jo 3:17; At 11:26);

2.      Ter experiências (experiência do novo nascimento – Jo 3:3-5);

3.      Renunciar (renunciar a tudo – Mc 8:34)

4.      Dedicar-se e Sacrificar-se (uma vida de dedicação e sacrifício, a fim de justificar o dom da vida eterna, que recebera – Lc 14:26);

5.      Disciplina (dedicar-se a uma vida de Disciplina);

6.      Aprender (aprendiz, alguém que se interessa em avançar na doutrina de Cristo – Hb 6:1);

7.      Multiplicar (interessar-se por ajudar a aumentar o número de discípulos, em obediência à Grande Comissão Mt 28:19,20).

Em suma, tal prática se resume a uma frase: “SOZINHOS VAMOS MAIS RÁPIDO... MAS, COM UM AMIGO VAMOS MUITO MAIS LONGE”. Tal tarefa não é fácil, nem para o discipulador, nem para o discípulo, pois para ambos requer tempo, renuncia, esforço, força de vontade, amor, compromisso, persistência, etc. Só assim haverá, realmente, haverá um dicipulado no modelo bíblico Moisés-Josué.

Nenhum comentário:

Postar um comentário