segunda-feira, 4 de março de 2013

A Doutrina das Escrituras

Bibliologia
Introdução
Nesta lição aprenderemos a importância da bíblia – palavra de Deus – na vida daqueles que amam e temem ao Senhor.
A bíblia é um poderoso instrumento na mão do cristão, ao qual a usa com sabedoria e discernimento. Esta fechada pode ser comparada a um simples livro, mas aberta é a boca de Deus a falar com seu filho.

I. Quantos livros tem a Bíblia


A bíblia é composta por 66 livros, sendo 39 no Velho testamento e 27 no Novo Testamento. O Velho Testamento ate-se à história do povo Judeu – com suas leis e livros proféticos. Já o Novo Testamento conta a história de Jesus Cristo – juntamente com seus ensinamentos e introduções para os que iriam segui-lo – tendo, além disso, a história da Igreja – registrada no livro de Atos dos Apóstolos e as epístolas (cartas) destes mesmos apóstolos à essas igrejas, instruindo-as em como proceder no caminhar cristão – e, por fim, o livro de Apocalipse (Revelação – onde o apóstolo João narra os fatos futuros da humanidade.


II. A importância de lermos a Bíblia

Conforme o apóstolo Paulo nos mostra em II Timóteo 3.16, a Bíblia foi escrita por homens inspirados pelo Espírito Santo. Estes homens procuraram mostrar o que Deus desejou que nós soubéssemos em Sua Palavra.
Quanto mais a lemos, mais nos aproximamo-nos do Senhor. Ficamos cheios e erramos bem menos.

“Será também que, quando se assentar sobre o trono do seu reino, então escreverá para si num livro, um translado desta lei, do original que está diante dos sacerdotes levitas. E o terá consigo, e nele lerá todos os dias da sua vida, para que aprenda a temer ao Senhor seu Deus, para guardar todas as palavras desta lei, e estes estatutos, para cumpri-los; para que o seu coração não se levante sobre os seus irmãos, e não se aparte do mandamento, nem para direita nem para a esquerda; para que prolongue os seus dias no seu reino, ele e seus filhos no meio de Israel”.
Deuteronômios 17.18-20
Davi declara – em Salmos 119.97-105 – que a Palavra de Deus (Bíblia) nos ajuda a encontrar a sabedoria.

“Oh! Quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia. Tu, pelos teus mandamentos, fez-me mais sábio do que os meus inimigos; pois estão sempre comigo. Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os teus testemunhos são a minha meditação. Entendo mais do que os antigo; porque guardo os teus preceitos. Desviei os meus pés de todo caminho mau, para guardar a tua palavra. Não me apartarei dos teus juízos, pois tu me ensinastes, oh! Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar, mais doces do que o mel à minha boca. Pelos teus mandamentos alcancei entendimento; por isso odeio todo o falso caminho. lâmpada para meus pés é a tua palavra, e luz para meu caminho”.

Jesus usou a Palavra de Deus, quando no deserto foi tentado pelo diabo. Isto é confirmado em Mateus 4.3-11ª:

“E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães. Ele, porém, respondendo, disse: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. Então o diabo o transportou à cidade santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, e tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra. Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus. Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teus Deus adorarás, e só a ele servirás. Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviram”.
Jesus cita as escrituras, porque ele as conhecia e as meditava. Que nós, de igual forma, venhamos conhecê-las e guardá-las em nosso coração, para que no dia da adversidade a Palavra de Deus possa nos ajudar.
A palavra de Deus, segundo o livro e Hebreus 4.12-13, revela o que somos e o que não somos.

“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até a divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar”.
Já em II Pedro 1.16-21, encontramos – nas escrituras a sua autoridade. Podendo, assim, afirmar que a Bíblia não se trata de uma coleção de fábulas ou idéias humanas a respeito do Senhor. Mas sim, a Palavra do Deus Vivo, dada através de pessoas para as pessoas. Neste versículo, Pedro enfatizou a autoridade que tinha como testemunha ocular da vida de Cristo, como também a autoridade das Escrituras que são inspiradas pelo Senhor.

“Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas; mas nós mesmos vimos a sua majestade. Portanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz: Este é meu filho amado, em que me tenho comprazido. E ouvindo esta voz dirigida no céu, estando nós com ele no monte santo; e temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela alva apareça em vossos corações. Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo”.


III. Comparação dos quatro Evangelhos

Os quatro Evangelhos apresentam a vida e os ensinamentos de Jesus. Cada livro, porém, enfoca um atributo único de seu caráter. Para entender mais sobre as características específicas de Jesus, leia qualquer um dos quatro Evangelhos.
Concluindo...

Aprendemos que a Bíblia é a palavra de Deus revelada ao homem. Vimos a sua importância e como esta deve ser sempre estudada e meditada. Encontramos fortalecimento espiritual, pois as Escrituras são alimentos para nossa alma. Ajuda-nos a encontrar resposta, direção, dá-nos conforto, esperança, paz, alegria e refrigério. Conhecer a Bíblia nos ajuda a conhecer mais a Deus e Sua soberana vontade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário