quinta-feira, 1 de junho de 2017

Quais são a semelhanças e diferenças entre os conceitos de Igreja de Cristo e Reino de Deus?


A Igreja de Cristo é composta de todos aqueles que foram eleitos por Deus, desde a fundação do mundo e são o corpo de Cristo (Ef 1:4-14; 1 Co 12: 12-31).

“Respondeu-lhe Simão Pedro: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Disse-lhe Jesus: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus. Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mateus 16:16-18).

Ou seja, aqui Cristo estava se referindo a Simão Pedro, filho de Jonas, o qual é apontado por “feliz” (do grego: makarios, bem-aventurado), pois este recebera uma revelação direta de Deus, através do Espírito Santo.
O vocábulo “eu” é enfático aqui, apontando para a autoridade de Cristo, o Filho do homem e o Filho do Deus vivo. Assim, a “pedra” é a confissão de Pedro sobre o Cristo, sendo a própria revelação. E, desta forma, a igreja está edificada nesta revelação, que vem de Deus, através da ação do Espírito Santo. Portanto, a “pedra” é a fé que procede da confissão; essa fé é a pedra sobre a qual a igreja foi fundada.
Há, porém aqueles que defendem a posição a qual afirma que Jesus usou um jogo de palavras (que há no grego como petros, ou pedrinha, fragmento de uma rocha). Cristo, entretanto, é a rocha maciça (petra), sobre a qual está edificada a igreja. Há outras mais interpretações acerca desta passagem, porém ficaremos apenas nessas duas. Lembrando que a Igreja Católica Romana usou tal passagem para criar uma grande heresia (sendo Pedro o primeiro papa, vigário de Deus).
Em Efésios 2:20-22 encontramos: “edificados sobre os fundamentos dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para o santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito”. O texto mostra que este edifício é a igreja de Cristo, e, sendo assim, somente Cristo pode ser o fundamento dela (I Coríntios 3:11).
Assim, podemos lançar um questionamento acerca do tema igreja de Cristo e reino de Deus. Afinal, o que veio Jesus Cristo estabelecer na Terra, Igreja ou Reino? E quais as semelhanças, e diferenças, que há entre ambas?
Começaremos pela definição de reino de Deus. Portanto, em sentido mais amplo, compreendemos a total e absoluta soberania de Deus em relação a todos e tudo que Ele mesmo criou, governando e exercendo controle total, sobre tudo e todos (seja debaixo dos céus, seja debaixo da terra; seja sobre o reino invisível, seja sobre o reino visível). Entretanto, em sentido mais restrito, podemos apontar para o reino de Deus de forma mais soteriológico e escatológico. Em suma, a Obra da Redenção (Salvação) estabelece este reino soteriológico e escatológico, que já se manifesta, mas ainda não alcançou a sua plenitude (O reino de Deus já e ainda não; o qual já se revelou ao homem, porém não em sua plenitude).
Quanto a palavra igreja (do grego: ekklesia - a qual tem seu significado por assembleia reunida regularmente para propósitos civis), era usada para se referir à congregação dos filhos de Deus, na Septuaginta para a congregação de Israel.
Enfim, no Novo Testamento a Palavra “igreja” é usada para se referir à reunião, congregação, dos crentes em Jesus Cristo, não somente reunidos em um determinado momento, mas unidos como corpo de Cristo. Desta forma, ela designa um aspecto muito específico e de tão grande importância no Reino de Deus, que algumas vezes pode até ser confundido ou mesclado com o próprio conceito de Reino. A palavra “igreja” designa as pessoas, famílias e nações que constituem este Reino, soteriológico e escatológico, de Deus.
Ou seja, a igreja faz parte do reino, sendo parte do reino; em outras palavras, igreja é o povo que constitui o Reino de Deus, mas a palavra também comporta algumas outras significações, sempre relacionadas à ideia principal de Igreja como povo de Deus, sendo, porém, em seu sentido mais amplo a totalidade do povo que Deus redimiu em Jesus Cristo, do princípio ao fim da História da Redenção, sendo aqueles o qual estão espalhado entre as nações, em distinção da Igreja que está nos Céus, aguardando a sua ressurreição e retorno com Jesus Cristo, para seu reinado visível na Terra; estes, por sua vez, podem também ser apontados como aqueles que se reúnem regularmente para a pregação da Palavra de Deus e celebração apropriadamente da Santa Ceia, sendo, por sua vez, batizados em nome de Jesus Cristo, guardam o Dia do Senhor, cultuam, participam da santa ceia etc.

Por conseguinte, a Igreja é o Reino “Invisível”, pois Jesus Cristo – que é o rei – está invisível; sua pátria e cidade são celestiais – estão por vir, sendo novos céus e nova terra; sua armadura é espiritual; seu poder é o Espírito Santo; sua maior herança é o Senhor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário