segunda-feira, 1 de julho de 2013

Como podemos ver Jesus e seu ministério no Tabernáculo de Israel?



O Tabernáculo (Êxodo 25-40) é tido como a cópia do Tabernáculo celestial. Encontra-se no centro do acampamento Israelita. E, podemos fazer uma comparação deste com o senhorio de Senhor Jesus, sendo o Salvador que lançou fora os pecados de todo mundo de uma vez por todas, e ao mesmo tempo, a própria oferta de sacrifício para toda a humanidade.

Embora, o povo de Israel pecasse diariamente – impondo suas mãos na cabeça do animal puro de sacrifício no pátio do Tabernáculo de acordo com o sistema de sacrifício – eles podiam passar seus pecados sobre a oferta. Isto é, como qualquer um que cria no ministério dos sacerdotes, e na oferta de sacrifício dada de acordo com o sistema de sacrifício, podia receber a remissão de pecado, sendo lavado de seus pecados e se tornando alvo como a neve. Igualmente, crendo no batismo e sacrifício de Jesus, que é a essência verdadeira do Tabernáculo, sendo, de tal forma, revestidos da bênção de remissão de todos os nossos pecados e de viver com o Senhor para sempre.
Não só os Israelitas, mas todos ao qual o aceitam, também, podem ser libertos de todos os seus pecados. O Tabernáculo nos ensina o que o presente da remissão de pecado que Deus deu a todo mundo representa. Como tal, o Tabernáculo propriamente era a grande essência de Jesus Cristo.
Jesus se tornou o Salvador de pecadores. Todo pecador seja ele/ela, pode ficar sem pecado se crer no batismo de Jesus, seu sangue na Cruz, e a verdade de que Ele é o próprio Deus. Podemos ser livres do julgamento do Deus por nossa fé nos fios azul, púrpura, e escarlate - em outras palavras, crendo no batismo de Jesus, Seu sangue, e Sua divindade. Jesus é a entrada para o Reino do Céu.
Já o Bronze significa o julgamento do pecado; a prata é o símbolo do resgate; o ouro aponta para a glória de Cristo; os querubins são os guardiões do trono de Deus. E temos também a primeira porta – chamada de caminho –, a segunda de verdade (lugar santo), e a terceira – chamada de vida (santíssimo lugar). Jesus confirmar ser o Tabernáculo quando cita em João 14.6, que diz:

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim, também conhecereis a meu Pai; e já desde agora o conheceis, e o tendes vistos”.

Em Atos 4.12 diz:

“E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos”.

Nenhum outro senão Jesus pode salvar as pessoas de seus pecados. Não existe nenhum Salvador, mas somente Jesus. João 10:9 diz:

“Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem”.

Assim, também, I Timóteo 2.5 diz:

“Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem”.

E Mateus 3.15 diz:

“Mas Jesus lhe respondeu: Deixa por enquanto, porque, assim, nos convém cumprir toda a justiça. Então, ele o admitiu”.

Todos estes versos testemunham esta verdade.
Jesus veio a esta terra em semelhança de homem, e recebendo Seu batismo (fio azul) e derramando Seu sangue (fio escarlate), Ele salvou os pecadores.
Como tal, Jesus se tornou a porta de salvação para todos os pecadores. Da mesma maneira que a entrada do pátio do Tabernáculo foi tecida de fio azul, púrpura e escarlate; Jesus, vindo a esta Terra, em primeiro lugar tomou os pecados do mundo sobre Ele mesmo, com Seu batismo recebido por João Batista. Ele, então, se tornou a oferta de sacrifício, o Cordeiro de Deus (João 1.29).
O Apóstolo Paulo disse em Efésios 4.4-6:

“Há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos”.


Esta Palavra se refere à salvação do pecado, feita pelos fios: azul, púrpura, e escarlate e o tecido de linho finíssimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário