terça-feira, 5 de agosto de 2014

Nós, como igreja, podemos investir melhor na nova geração





Com certeza a igreja deve investir na nova geração, que será o futuro, não só da nossa nação, mas do mundo. Devemos, com isso, ampliar nossa visão, que muita das vezes foca somente para o hoje, e ampliarmos para um futuro mais longe, algo entre 10 a 20 anos. Hoje, crianças que estão em nossas igrejas poderão ser missionários, pastores, evangelistas, ou não. Tudo vai depender de como nós as recebemos e as tratamos em nossa igreja. A Bíblia nos diz:

Em verdade vos digo que qualquer que não receber o reino de Deus como menino, de maneira nenhuma entrará nele. (Marcos 10.15)

E qualquer que receber em meu nome um menino, tal como este, a mim me recebe. (Mateus 18.5)

Tais versículos provam a importância da criança para Deus e, nós como igreja, deixamos de lado tal ministério, crendo que criança não é tão importante. Ideia erronia e equivocada.
Assim, devemos ter a visão de fazer deste ministério infantil um Grande Campo Missionário, e qualificar as crianças para tal chamado. Com isso, teremos crianças evangelizando outras crianças, e, porque não, adultos.

“Daqui a 100 anos não importará o tipo de carro dirigi, o tipo de casa que morei quanto tinha depositado no banco, nem que roupas vistam. Mas o mundo pode ser um pouco melhor porque fui importante na vida de uma criança.”
(Autor desconhecido)



Entendemos que as bases para um ministério infantil deve ser o Evangelismo. Ou seja, alcançar vidas para Jesus desde a infância, não deixando satanás chegar primeiro. Resgatá-las da morte eterna, e apascentar os cordeiros de Jesus que fazem parte do seu corpo, a Igreja de Cristo. É o rebanho de Deus que precisa ser: amado, reconhecido, alimentado e guiado.
Para que tal verdade ocorra, primordialmente, deve ganhá-la para Cristo, assim como está escrito em Marcos 16.15:  “Ide por todo mundo e pregai o evangelho a todos”.

Devemos estar atentos quanto à salvação destes pequeninos, pois não é da vontade de Deus que eles se percam.
As crianças precisam de alguém que seja muito mais que um transmissor de conteúdos bíblicos todos os domingos (Muito mais que professores), mas, sim, de pessoas que tenham um coração pastoral, convocados por Deus para serem professores, prontos a ministrarem na vida das crianças.
Em suma, percebemos a grandeza que é o trabalhar com crianças, e, assim, podemos ver e sentir tal privilégio; tal motivo de dá pelo fato de que as crianças são humildes e sinceras e é por isso que Cristo manda que sejamos como as crianças para herdar o reino de Deus (Mateus 18.2-4), sendo assim são fáceis de conduzi-las a Cristo.
Com isso, podemos apontar algumas ideias para se trabalhar com estes pequeninos. Hoje em dia, com o advento da informação, temos muita informação contida na internet, e isso nos facilita em muito nosso trabalho de um modo geral. Isso é bem diferente da realidade de quando éramos crianças. Mas uma coisa não mudou: a criatividade humana. Deus nos fez mentes pensantes e, com isso, devemos ressaltar a importância da criatividade.
Por conseguinte, podemos utilizar o lúdico para trabalhar com crianças de todas as idades, trazendo à sala de aula princípios da própria realidade dela. Isso não é nenhuma realidade, pois Jesus já usava tal método de ensino aprendizagem há muito tempo – assim, o Mestre criava suas parábolas e nos ensinam e nos exortam. Assim, de igual forma, podemos usar de tal método cognitivo.
Portanto, como experiência própria, indico tal método, ao qual muito me dá prazer em fazê-lo, e consigo ver retribuído nos olhos de meus alunos, que é o Método de Contar Histórias. 
Sou professora de Língua Portuguesa e Literatura, trabalhando com crianças e adolescentes, e percebo que, em ambas as fases, interessam-se quando começo a contar alguma história. Por isso, posso afirmar que, nem sempre, precisamos comprar recursos caros ou ficarmos desesperados atrás de materiais diferentes para contarmos uma história. Basta apenas usarmos a Pedagogia de Jesus, trabalhando a criatividade e recursos/objetos que estão ao nosso redor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário